segunda-feira, 16 de julho de 2007


© Sara Franco – Love Cat (2007)

Portefólio, aqui e aqui.

4 comentários:

Luís Graça disse...

Uma obra do campo da Ficção Científica. Um gato feliz com a cabeça por baixo de uma torneira. Uma coisa é adorarem lamber a água dos lavatórios, outra é meterem a cabeça por baixo.

Percebo a artista: é um "statement", uma utopia. O próprio branco do gato aponta para um simbolismo pós-moderno, em que a pureza representada pela cor branca vai desembocar em todo um processo de auto-conhecimento felino em que o animal (auto-analisado através de uma conjugação instinto/habitat) vai descobrindo um caminho de regresso a África.

(É melhor dizer que estou a curtir, não vá aparecer um comentário a dar-me razão. Sei lá o que disse. Nem sequer percebo nada. Não era esse o objectivo)

PS --- O primeiro parágrafo é a sério.

Menina_marota disse...

Tive um gato, que não era branco, era negro, que gostava de meter a cabeça debaixo da torneira, especialmente de Verão.
Quando nos sentia abrir qualquer torneira, até a do terraço para refrescar as paredes, lá vinha ele, e colocava a cabeça debaixo da mangueira... :-)))

Hoje falo do Tareco e do vosso Blogue...

Um abraço carinhoso ;)))

Sara Franco disse...

Apesar de ter uma gata em casa que também adora água...Este não era para parecer feliz. Mas ele há gatos para tudo! Gato que é gato...
PS - Pá, tenho que me defender!

CMondim disse...

Hehehe, o gatinho da imagem faz lembrar-me a minha Angie no bidé :)
Adoooroooo gatos, gatuchos, felinos..