sábado, 20 de dezembro de 2008

Reis Magos

Uma mesa de plástico, branca
junto da tarde que morre
e renasce por pequenas paixões
de repente estávamos sozinhos
as ilhas muito inacessíveis
agora que escureceu
o menor desejo teria um sentido delicado
os olhos velozes de um gato
viam coisas belas
lado a lado com os homens
pareciam quase não ter sofrido

a mesa estava encostada às janelas do café
e nós de forma desolada
ignorados, aturdidos, de passagem
não muito mais

procuro desse facto uma versão
que me não conduza à inconfidência

era uma mesa lisa, branca
uma razão soletrava ao acaso
a medida soberana do incerto

olhos velozes de um gato os teus
olhos


José Tolentino Mendonça

2 comentários:

Carlos Pinto Vinagre disse...

Convido-te a visitar:

www.kronospoesis.blogspot.com ;
www.pos-contemporaneidade.blogspot.com

filomeno2006 disse...

¿Cuándo se suprimió como festivo el día de Reyes en la República Portuguesa?