quarta-feira, 18 de junho de 2008

Vincent e Van Gogh



Vincent e Van Gogh
Autor: Gradimir Smudja
Editora: Witloof
2003

Alguém menos avisado poderia achar, pelo título e pela capa, que este livro de Banda Desenhada é apenas uma biografia de Van Gogh, mas estaria redondamente enganado.
“Vincent e Van Gogh" é um admirável álbum de BD, com uma fábula que conta a história de dois pintores: um gato (Vincent) e um homem (Van Gogh).
Nesta história Van Gogh é, afinal, um pintor sem talento e Vincent (o gato) é que pinta todos os quadros do “suposto” autor que assina todas as suas obras com o nome “Van Gogh”.
Um dia, Van Gogh, um homem terrivelmente só, cruzou-se com Vincent na rua, salvando-o de um ataque de um bando de felinos malfeitores. Levou-o para casa e tratou dele.
Vincent, um gato pouco equilibrado e de duvidosa moralidade, mas um mestre da pintura, oriundo de uma linhagem de felinos com um enorme pedigree artístico, autores de A Ronda da Noite (injustamente atribuído a Rembrandt) ou A Liberdade Guiando o Povo (injustamente atribuído a Delacroix), decidiu então ajudar o amigo pintor que se debatia com as telas em branco. Num ápice, atirou-se a uma tela e mostrou a Van Gogh como se fazia. Arranhou, raspou e, de pernas para o ar, aparecia um maravilhoso quadro com girassóis...

Vincent e Van Gogh ficam, a partir daqui, inseparáveis. Ao longo das páginas, vamos ficando a conhecer um pouco da vida do pintor (Paris, Arles, Saint-Rémy, Auvers-sur-Oise, até ao seu suicídio em 1890). Cruzamo-nos com Toulouse Lautrec, Gauguin (que afinal deve a sua obra ao seu papagaio Paul), Monet, Degas e, até com Brigitte Bardot. Assistimos ao acidente da Gare Montparnasse, à inauguração da torre Eiffel...
E, no final, um gato chamado Pablito aproxima-se de um jovem de nome Picasso...
Nesta belíssima BD, Smudja presta uma homenagem, não apenas a Van Gogh, mas a toda a Pintura.
Este livro demorou 14 anos a ser feito e exigiu mais de 4000 horas de trabalho a Gradimir Smudja, um especialista no impressionismo, nascido na Jugoslávia e licenciado pela Academia das Artes de Belgrado, que neste livro imita na perfeição várias obras famosas de Van Gogh.
“Vincent e Van Gogh" foi distinguido com o Troféu Zé Pacóvio e Grilinho de 2003 para o Melhor Álbum Estrangeiro publicado em Portugal (atribuído pelo Festival de BD da Amadora).
No final do livro existe ainda um glossário com os nomes dos autores, obras e locais mencionados na história.

"Van Gogh sempre me interessou muito. Quis contar a sua verdadeira história, pois toda a gente sabe quem ele era, mas ninguém conhece Vincent, a sua segunda alma. "Vincent e Van Gogh" permanecerá sempre único, justamente porque é daí que deverá partir a imaginação dos meus leitores para formularem, à vontade, a sequência da história", disse o autor quando o livro foi lançado pela primeira vez em França, pela Delcourt, em Janeiro de 2003.

Para saber mais informações sobre este livro, recomendamos a leitura do livro Sobre BD da autoria de David Soares, que tem um capítulo inteiro dedicado a esta obra.

Depois deste livro, Smudja fez outro álbum dedicado a... Toulouse-Lautrec (O Bordel das Musas).

2 comentários:

Luís Graça disse...

Este livro foi mais uma boa aposta da editora Witloof, infelizmente já extinta, pese embora toda a dedicação da editora.

Quanto ao "Bordel das musas", influenciou-me mesmo na escrita dos contos do Fernando Pessoa. Não resisti a colocar o Fernando com o Lautrec, na inauguração do Moulin Rouge.

Geraldes Lino disse...

Gatófila Inês
A componente dedicada à banda desenhada do teu blogue tem excelente prosa tua dedicada a esta obra singular. Claro que assim, cada vez gosto mais do teu blogue... e de gatos. Saudações bedéfilas.