domingo, 11 de novembro de 2007

"A cat's map of the bed" © Hilary B. Price

2 comentários:

Luís Graça disse...

Falta dizer uma coisa. Todas as zonas da cama são potenciais zonas de ataque a qualquer momento.

Os gatos são sobreviventes. Porque são guerreiros. Mas quanto mais guerreiros são, menos fiáveis se tornam.

E quem é que gosta de perder a confiança num ser que pode mudar de humor de um momento para o outro?

Ontem estive com um dogue argentino branco de nome "Lua". Uma cadelinha. Foi à noite, à hora em que os clubes de futebol portugueses envergonhavam os espectadores com mais uma série de miseráveis espectáculos.

Inteligentemente, preferi passear e ir até à Livraria Book House. Ali para os lado da Europa-América encontrei a "Lua", a passear com os donos.

Festinha para aqui, festinha para ali, fiquei logo com uma excelente relação com os donos. E daqui a uns quatro meses a "Lua" vai ter de se habituar à presença de um pequeno ser lá em casa: o Tomás.

A conversa de 20 minutos oscilou entre as diferenças entre cães e gatos, La Fura Del Baus, o meu espectáculo de Stand-Up, tudo e mais alguma coisa.

Bem avisei que o meu espectáculo não era coisa para uma senhora grávida, mas o marido dela disse que rir era o que é preciso.

Está certo. Mas não era melhor o petiz começar por falar dizendo a primiera palavra "papá" ou "mamã"?
Se fôr ao meu espectáculo, a primeira palavra arrisca-se a ser "Tra-ba-lho".

O Réprobo disse...

Ehehehehehehehe. Ó Luís, o Sporting não ´é igual à totalidade dos clubes...

Já postei o presentinho natalício virtual para o «Queridos Gatos».

Beijinhos e abraço