domingo, 14 de outubro de 2007

© Peter Schmucki (2007)

Portefólio, aqui e aqui

5 comentários:

Luís Graça disse...

Mais um grande "boneco"!

PAH, nã sei! disse...

Lindo!!!!!!!

PAULA PEREIRA disse...

Olá
Sou a Paula, visitei seu blogue que está muito "gato", passe também pelo meu e deixe o sua opinião sobre ele
http://decoracaoearte.blogspot.com

Norma disse...

Olá!

Gostei muito do blog, mas acho uma pena que não divulgue a posse responsável. Com fotos como essa, em que o gato é deixado solto e vulnerável a inúmeros perigos, é de se lamentar que um blog tão bonito sobre gatos não provoque impacto algum na questão da segurança dos felinos. Um número absurdo de gatos morre todos os dias: são gatos mortos ou aleijados em quedas de janelas e parapeitos (como na foto), além de atropelados, envenenados, espancados, ou procriando sem parar, gerando mais e mais abandono. Gosto da proposta estética do site, mas incluir nele uma proposta de posse responsável seria a maior prova de amor aos felinos.

Com sinceridade,

Norma

Luís Graça disse...

Cara Norma:

Tem toda a razão, mas faltam-lhe alguns elementos que lhe permitam compreender a questão na sua totalidade.

Eu tenho o prazer de ser amigo do Peter e este gato tinha uma propensão suicida incrível. O Dr. Carlo Vucinovic (um veterinário de Zagreb, onde a foto foi tirada) disse que era um caso muito raro. Sabe-se que as baleias e as gaivotas se suicidam e até os cães se deixam morrer em cima das campas dos donos. Um gato suicidar-se é muito raro.

E mesmo assim não há certezas de que o "Mostar" (acho que era o nome dele, mas posso estar a confundir com outro gato do Peter, o "Zoran Filipovic") se quisesse mesmo suicidar, porque era um gato com um comportamento aparentemente normal.

Brincalhão, comia bem, só que passa a vida a fugir para os telhados, de onde dá saltos que mais nenhum gato dá.

O Peter fotografou o gato como forma de lhe atrair a atenção, indo depois buscar comida, para ver se ele descia. O "Mostar" já se tinha atirado duas vezes daquele paredão lá para baixo, em saltos de uns 8 a 10 metros. E depois só voltou a casa passados dois dias.

Também tinha a mania de caçar gaivotas e de lhes comer a cabeça, deixando o resto.

O "Mostar" foi recentemente medicado com anti-depressivos, mas continua a haver algo de estranho nele. Adora cães e vai ter com eles de forma completamente irresponsável, sem perceber se os cães o vão atacar ou não. Por isso mesmo, o Peter tem de sair com ele pela trela.

Só uma coisa acalma o gato, quando fica sozinho em casa: ver o Eurosport, independentemente do desporto que passa.

Se ficar a ver o Europsort já não mete as unhas em nada. O Peter já experimentou com o canal Mezzo e a MTV e ele destrói tudo. Quando o Peter chega a casa ele olha para ele como se não fosse nada e não sente complexos de culpa.

O gato é lindíssimo, mas é mesmo estranho.

Fico muito feliz com o seu comentário, Nora, porque percebo que tem grande amor aos animais, mas neste caso o que se passou foi o que contei, mais coisa menos coisa.