quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Pensão familiar

Jardim da pensãozinha burguesa.
Gatos espapaçados ao sol.
A tiririca sitia os canteiros chatos.
O sol acaba de crestar os gosmilhos que murcharam.
Os girassóis
.....................amarelo!
....................................resistem.
E as dálias, rechonchudas, plebeias, dominicais.
Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçon de restaurant-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
— É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.

Manuel Bandeira

1 comentário:

Luís Graça disse...

Este poema de Manuel Bandeira tem o "je ne sais quois" que falta a um banalíssimo conto de Hemingway: "Um gato à chuva".